OFICINAS CRASH 2022

FILMANDO – SEM DINHEIRO – COM GURCIUS GEWDNER

Oficina presencial

 

Data: 08 e 09/12/2022

Ministrante: Gurcius Gewdner

Horário: das 15h às 18h

Local: Escola Goiana de Desenho Animado

Endereço: Alameda do Botafogo, 235 - Centro

Pré-requisito: idade mínima 16 anos

Carga-horária: 6 horas

Vagas: 20 alunos

FILMANDO – SEM DINHEIRO – COM GURCIUS GEWDNER Seu filme é todo seu, da concepção à distribuição, você pode inclusive destruí-lo ao fim de sua criação, afinal você fez ele pra si. Você pode dividi-lo com mais pessoas também, ele pode ser um presente pra uma pessoa, duas pessoas, ele pode atingir o cérebro de um milhão de pessoas se assim acontecer, mas em primeiro lugar ele é todo seu e nada mais importa, não se esqueça disso.  Seja fazendo música em estado de transe, criando figurinos de lixo, editando e produzindo vídeos etnográficos de performance com Lígia Marina, ou deixando o cinema de gênero brasileiro um pouco mais frenético em parcerias diversas com outros diretores, ou fazendo os próprios filmes, curtas, videoclipes, documentários, Gurcius Gewdner tem uma trajetória de caos, amor e poluição que não encontra prateleiras fáceis. É como o isopor, que se adapta, não apodrece nunca, impregna tudo mas nunca se encaixa do jeito que o resto do planeta espera. Como previu o Cronenberg, um dia o lixo e isopor farão parte de nossas correntes sanguíneas e só assim terá sido possível sobreviver. Confortável nas prateleiras do cinema de gênero (afinal mais divertido que o esnobismo de outras estantes) e nos buracos antifascistas do underground, Gurcius tem um trabalho que é plástico, barulhento, sujo, agressivo, colorido e meigo. Aqui nesta oficina, mesmo sem saber fazer nada, você vai ter a chance de desaprender a criar um filme com orçamento quase zero, um filme pra chamar de seu, um sci-fi documental sem recursos pra te levar ao redor do mundo, para destruir ou simplesmente expulsar as visitas no natal que se aproxima. Uma lição você leva já aqui: não façam Pitching, façam FESTA. GURCIUS GEWDNER Diretor, montador, produtor, músico, artista gráfico, animador de festa creditado em mais de 70 produções, formou parcerias duradouras com artistas alucinados dentro do cenário do horror e experimental.  Realiza trabalhos de curadoria desde 2003, destacando-se o ciclo Dez Anos sem GG Allin (2003) e as diversas mostras no MIS de Florianópolis entre 2006 e 2009, dentre elas: Jan Svankmajer: Stop Motion Delirante (2007), The Residents e Bob Ostertag: Animação ao Vivo (2007), Mostra de Cinema Pânico (2006), Cinema Noise: Filmes e Documentários de Rock (2008), Cinema Surrealista do Leste Europeu (2009). No RJ, colaborou em panoramas no Curta Cinema, Mostra do Filme Livre e Interzona Cineclube. Desde 2018 é um dos curadores fixos da Crash: Mostra Internacional de Cinema Fantástico. Procura amizade duradoura com produtores que o ajudem a financiar os longas "Carnaval dos Músicos Deformados" e "Roller Derby contra o Esgoto Mental" além da finalização urgente de Viatti Arrabbiatti e Cleopatra II : A Tirania do Desejo.

OFICINA CRASH

100 ANOS DE VAMPIROS EM 100 FILMES

Oficina online

Data: 13 a 15/12/2022

Ministrante: Carlos Primati

Horário: das 20h às 22h

Local: Plataforma zoom

Inscrições: www.mostracrash.com

Pré-requisito: idade mínima 16 anos

Carga-horária: 6 horas

100 ANOS DE VAMPIROS EM 100 FILMES Considerado a primeira obra-prima do cinema vampírico e um dos filmes mais reverenciados de todos os tempos, Nosferatu completa um século de existência em 2022. Primeira adaptação (não-autorizada) do romance Drácula (1897), de Bram Stoker, o filme de F.W. Murnau superou as controvérsias e se mantém uma obra influente e muito imitada. Foi refilmado por Werner Herzog em 1979, com Klaus Kinski e Isabelle Adjani, teve seus bastidores dramatizados em A Sombra do Vampiro (2000), com John Malkovich e Willem Dafoe, e nos últimos anos tem sido desenvolvida uma nova versão, com direção de Robert Eggers (A Bruxa, O Farol). O vampirismo no cinema começa a se popularizar com o filme Drácula (1931), desta vez uma adaptação oficial do livro e da peça de teatro, com Bela Lugosi no papel do vampiro. Os seres noturnos recebem sangue novo (e vermelho) com as produções a cores da Hammer, estreladas por Christopher Lee de 1958 a 1974, e se tornam assustadores, sedutores e irresistíveis (tudo ao mesmo tempo) com as encarnações de Frank Langella e Gary Oldman. O curso ministrado por Carlos Primati fará uma cronologia de um século de vampiros nas telas, abordando uma centena de produções que deram vida aos sanguessugas humanos nas mais diferentes representações, indo do clássico ao moderno, do sobrenatural à ficção científica, do folclore às tribos urbanas que se identificam com a vida noturna e marginalizada dos vampiros. Ao longo de três aulas online de duas horas de duração cada um, iremos discutir as diferentes representações vampíricas e apresentar uma filmografia recomendada. CARLOS PRIMATI Crítico e pesquisador de cinema fantástico, tradutor e editor, Carlos Primati é curador da Mostra Trash desde 2012. Ministra cursos e palestras sobre horror, ficção científica e fantasia há mais de dez anos, participando de eventos por todo o Brasil e, a partir de 2020, também em formato online. Na Trash/Crash, ministrou cursos sobre Alfred Hitchcock, Pós-Horror e Horror Britânico, iniciando a segmentação temática do gênero que prossegue na edição atual com Horror Blaxploitation. Colaborou em diversas retrospectivas da obra de José Mojica Marins, o Zé do Caixão, e criou as mostras Horror no Cinema Brasileiro (CCBB e Cinemateca) e Macabros: O Novo Cinema de Horror Brasileiro (SESC), sendo também curador da mostra macaBRo: Horror Brasileiro Contemporâneo (CCBB). É curador do Rio Fantastik Festival desde 2017, onde programa o melhor da produção brasileira em horror e fantasia, e participa de eventos como Fantaspoa, Cinefantasy, Horrorcon e HorrorExpo. É palestrante do projeto Pontos MIS, abordando várias vertentes do cinema de gênero. Também para o MIS (Museu da Imagem e do Som), ministra cursos variados e escreveu os textos da exposição Hi chcock: Bastidores do Suspense, em 2018, colaborando também no catálogo do evento. É organizador, em parceria de Beatriz Saldanha, da antologia Única: Estudos Hitchcockianos, coletânea de artigos inéditos sobre o cineasta Alfred Hitchcock, lançada pelo selo Clepsidra. Pela mesma editora, colabora como tradutor e articulista em obras variadas de literatura fantástica. Escreve regularmente para catálogos de mostras abordando personalidades como Stephen King, George A. Romero, Kirk Douglas, Ruth de Souza, Carlo Mossy e Rodrigo Aragão, além de livros da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), da qual tornou-se membro em 2020.

Cards_Crash 20224.jpg